Linda do Rosário - Adriana Varejão
Arte Música Amor

O amor, a tragédia e a arte!

Em 2015, a exposição “Pele do Tempo” desembarcou no Espaço Cultural Airton de Queiroz, da Universidade de Fortaleza, onde curso Comunicação Social – Jornalismo. Já conhecia o trabalho da artista plástica contemporânea por trás do projeto, a carioca Adriana Varejão. Como a maioria de nós que se permite expor, as obras são cruas, e pode assustar aos menos avisados e preparados. Com vísceras à mostra, peles rasgadas, interiores sangrando, esquartejamento e canibalismo, um verdadeiro abalo atômico. Eu olhava abismada tentando analisar “criticamente” e tentando desvendar o que havia escondido na história daquelas paredes abertas cheias de bile feitos de tinta. Uma das obras expostas chamava “Linda do Rosário”, inspirada em um Hotel, que leva o mesmo nome, localizado na Rua do Rosário, no Rio de Janeiro.

 Eram 15h15 do dia 25, de setembro de 2002, quando o prédio de cinco andares desmoronou deixando três feridos e dois mortos.  Descobriu-se depois que os corpos, na verdade, eram de um casal que havia algum tempo mantinham um relacionamento escondido, e se negaram a sair do local por medo de serem descobertos. Os corpos só foram achados dois dias depois, em meio aos escombros. Conta-se que eles foram separados durante a juventude. Ele, professor, tinha 71 anos. Ela, bancária, tinha 47. Mais uma história de amor impossível. Daqueles que a gente vê quando tá na bad e corre na Netflix procurando qualquer filmezinho romântico que nos faça chorar muito. Não nos damos conta, mas essas histórias são reais, fora do nosso mundo de amor perfeito, casais realmente passam uma barra pra ficarem juntos. O amor tem curvas que a gente desconhece, às vezes a gente sofre, às vezes a gente é feliz, às vezes a gente nem ama, só fica ali, né? E às vezes a gente encontra alguém e esse alguém não pode ser nosso por qualquer motivo cruel e impossível. E às vezes tem o platônico, esse a maioria de nós conhece bem.

Também inspirado pelo caso ocorrido na Rua do Rosário, o compositor e cantor, Marcelo Camelo, compôs a música “Conversa de Botas Batidas”, presente  no CD “Ventura”, de 2003. A música é uma simulação da última conversa do casal que vivia um romance secreto. Depois de saber da história por trás da música, passei a ouvi-la de forma totalmente diferente, ela me tocou de novo. Imaginei o casal, a real última conversa, o tamanho do amor que aceitou deixar de existir para poder continuar em outro lugar, talvez. Depois de entender o contexto da música, ela muda e nos muda.  Correr pra se encontrar, talvez. Se amaram até o fim, talvez. Ficar a sós no céu. Pra sempre.

Cintia Martins

Aprendiz de Jornalista com os dois pés na Antropologia. Apaixonada por cada pedacinho de cultura e de riqueza desse nosso país tão lindo. Pensei em fazer Química, mas percebi que o meu lugar é observando as pessoas, e eu observo, herança desse meu signo de terra. Sou terra a terra, pé no chão. Escrever me faz voar, então, escrevo!

LTI_FINAL-72-1500x1016
Arte Fotografia Amor

As fotos sensíveis de Olivia Bee

Olivia, 22 anos. Fotografa, nascida em Portlant, Oregon. Veio ao mundo para fazer história em forma de fotografia. Faz pouco mais de um ano que pude me esbarrar em suas fotos e me apaixonar por inteiro por cada uma delas. Como se cada uma tivesse algo à dizer, tivessem vida própria. Ela encontrou seu amor pela fotografia aos 11 anos. Trabalhou com marcas renomadas, como: Adidas, Converse, MTV, Vans, Warner UK, YouTube Music, entre outras.

7950753970_5e11257199_o-1500x1012

8001197651_d82168fbdd_o-1500x1240Photoshoot: Hermès 

P_RED-Valentino_FW16_Digital-4-3-230x1723-1500x1125

P_RED-Valentino_FW16_Digital-4-3-230x172-1500x1125

P_RED-Valentino_FW16_Digital-4-3-230x1724-1500x1125Photoshoot: REDValentino

Quem reconhece essa maravilhosa aí de cima? Sim, é a Birdy. Teve post sobre ela e suas musicas no blog. Cantora do momento: Birdy. Além desse ensaio maravilhoso, Olivia também fotografou o ultimo album da cantora, Beautiful Lies.

S05_BIRDY_465_1_COLOR_FLAT_small-1500x1000

S10_BIRDY_080_EDIT_2_small-1500x1000

Seu trabalho autoral ganha meu coração. KIDS IN LOVE e NEW YORK são os meus preferidos. Queria poder guardar todas as fotos em um potinho e carregar comigo para onde eu for. Tanta beleza e delicadeza. Tanto sentimento transbordando em cada registro.

17225581951_c275999e6c_h-1500x995

34100007_lustangeles_2-1500x1000

22840005_peachsliceinthedesert-1500x995

18945500434_5ce14e9496_h-1500x995

LTI_FINAL-68-1500x1104

LTI_FINAL-46-1500x1250

LTI_FINAL-57-1500x1044

Espero que tenham viajado e limpado a vista comigo, depois dessa chuva de fotografia.

{infos} Olivia’s website .:. Instagram .:. Flickr .:. Blog

Ingrid Brandão

Sereia. Cigana. 24, do Ceará, de SP e do mundo. Bagageira de emoções. Um desastre. Amante de musica boa, filme chororô e lugares desconhecidos. Amante do amor. Todo tipo de amor. Vamos nos amar.

Marilyn-Monroe-with-Camera-Bert-Stern-hotel-bel-air-8
Arte Fotografia

Feliz dia mundial da fotografia: a poesia dos olhos!

Hoje é comemorado em todo o mundo o dia da expressão mais estática e emblemática possível. Onde os olhos são os grandes artistas e a câmera a grande ferramenta de criação. Um dependendo exclusivamente do outro e exercendo suas funções da maneira mais conjunta e semelhante possível. Tendo, a câmera, o papel de estender a perspectiva da nossa mais íntima e fantástica visão.

marilyn F

E, em pensar que a fotografia já passou por épocas em que tirar uma simples foto era considerado algo REVOLUCIONÁRIO. Ter a possibilidade de fazer um registro da sua vida ou de algo histórico da humanidade era como ir á lua em poucos segundos ou descobrir a fórmula da coca-cola, algo inimaginável até a sua criação. Era realmente insano como aconteciam as produções de fotos. As famílias, lado a lado, estáticas esperando pelo primeiro ‘’tiro’’ ou ‘’explosão’’ de flash e todos concentrados, calculando tudo milimetricamente para que o melhor ‘’clique’’ acontecesse.

Não temos noção dessa realidade e jamais teremos. Pelo contrário, a facilidade de a todo instante poder fotografar já nos deixou mecanizados e acostumados com essa grande invenção do ser humano. Nascemos já preparados para sorrir para fotos: ”DIGA X!”. Possuímos registros dos nossos primeiros passos, do aniversário da vovó de 40 anos, do festival de teatro no colégio e dos encontros com os amigos de infância. Não sabemos o que é viver sem registros. É como se o nosso cartão de memória também fosse uma extensão do nosso cérebro.

Parece loucura pensar na dimensão que a fotografia tomou nos dias de hoje. Ela está totalmente inserida na nossa realidade e participando dos piores e melhores momentos de toda humanidade. A todo instante tem alguém registrando algo. A ‘’imagem falada’’ se tornou a voz de muitos e substituiu muitas formas de interação. Uma foto publicada no facebook se comunica tão bem quanto sua descrição. É sua forma de se mostrar ao mundo, é como você quer ser visto, a importância que você dá aquilo, é unicamente sobre você!

Em smartphones de todos os tipos podemos encontrar infinitas histórias infiltradas em suas memórias. Um almoço delicioso, uma roupa nova, um novo amor, um corte no joelho ou um novo gatinho fofinho, quem sabe?  Nada nunca foi tão democrático, necessário e danoso ao mesmo tempo. Da mesma maneira que se pode transformar vidas e realizar conexões de almas, pode também destruir outras. A arma está em nossas mãos, cabe a nós escolher, ou não, atirar. O alvo quem escolhe também somos nós!

Mas apesar de toda banalidade que se tornou. A fotografia é uma fonte inesgotável e mágica de informação, comunicação e arte. Faz todo sentido quando dizem que ‘’uma imagem vale mais que mil palavras’’ quando apreciamos uma bela imagem. É uma experiência direta, profunda, momentânea, histórica, saudosista. É linguagem, palavra, afeto, concreto, simples, reto. É prazer, lazer, fazer e muitas vezes: sem ter. É sorrir, partir, cumprir, sentir, seduzir. É arte, que faz parte de uma parte que preenche todo um ser. É isso que eu acabei de dizer. É poesia, tecnologia misturada com saber.

E esse meu pequeno ‘’poema’’ eu dedico a quem juntou uma grana para comprar uma câmera fotográfica, quem passa horas estudando ângulos e luz, quem quer a cada dia fazer ‘’a melhor foto da sua vida’’, quem se arrisca pelos vastos lugares ou situações, quem realmente ama o que faz (mesmo sendo desvalorizado), quem se sente a pessoa mais feliz e realizada possível quando escuta um: OBRIGADO! Feliz dia para todos vocês, incríveis e destinados fotógrafos, que o suor de cada clique seja recompensado e que essa profissão se torne, cada vez mais, um recanto de grandes profissionais e artistas: inspirados e inspiradores de uma geração. Hoje o dia é de vocês!

PARABÉNS!

Annex - Monroe, Marilyn_088

Damilly Mourão

Olá, meu nome é Dami(lly), tenho 22 anos e estudo psicologia. Tenho como inspiração o contato com a natureza, com os animais e as pessoas que me cercam. Fotografia é minha maior paixão e busco através do cinema, da música e da literatura minha fonte de arte e criação.

tumblr_o6hp4xkFHF1rvvpnuo2_1280
Arte Música

Cantora do momento: Birdy

Jasmine van den Bogaerde, ou melhor, Birdy. Uma britânica que roubou meu coração desde a primeira canção, há alguns anos atrás. Começou a compor aos sete anos, cantar aos doze. Ficou muito conhecida depois de sua versão de Skinny Love, do Bon Iver. Além de ter feito versões de várias musicas de cantores maravilhosos como “The A Team” do Ed Sheeran e “Shelter” da banda The XX. Hoje, aos 19 anos está com seu terceiro album, mais espetacular e brilhante de todos. Que mostra sua real essência e evolução como pessoa e artista. Ao meu ver, sua discografia segue uma linha de crescimento. O primeiro, foi seu descobrimento, desabrochar. O segundo, seu crescimento profissional e amadurecimento. Por ultimo, se mostra como mulher para o mundo. Com suas pedalas regadas e cheias de histórias para cantar. Cada um tem um passo, uma história, mas todos tem o toque e olhar só dela. Tão tímida e profunda. Tão iluminada e tão obscura. Cada detalhe faz com que ela seja unica. Assim como sua voz, que pode ser reconhecida até por um sussurro. Tão fatal e suave.

Sempre fui muito apegada à musicas, no geral. Cada momento meu, ou fase, relacionamento seja amoroso ou de amizade, tem uma musica pra contar, ops, cantar, tocar. E Birdy faz parte de tudo que fui e sou. Desde o primeiro album, ainda tão nova, ela tinha tanto à transbordar. Já sentia tanta coisa e colocou pra fora, em forma de canção. Sabia se expressar com uma suavidade e ao mesmo tempo intensidade tão absurda. Parece até que conhece meu interior, pois cada letra traduzida, conta algo sobre ela e, automaticamente, sobre mim. Sempre gostei de letras e melodias fortes, sempre senti demais, na maioria das vezes. E Birdy fez e faz isso sem precisar de esforços.

Por mim, eu colocaria os três albums inteirinhos aqui, para vocês ouvirem uma por uma e sentirem tudo que eu sinto. Mas né, tenho que me controlar haha. Então selecionarei um top 5 das minhas favoritas (missão quase impossível).

“I’ll never forget you” é uma faixa do seu primeiro album, “Birdy”.

No segundo vídeo, já conseguimos ver como ela cresceu, né? Haha. Amo lives! Essa faz parte do segundo album dela, “Fire Within”.

Wings é seu primeiro single do segundo album. Um amorzinho só!

Amo completamente tudo nesse clipe e na musica. A letra, a fotografia, o toque….T u d o! Essa é uma obra do terceiro album.

E pra finalizar: minha musica do momento! Sério, essa musica abala minhas estruturas hahaha. Birdy é uma sereia no clipe <3

 

Quem aí se apaixonou também? Quem souber de algum cantor ou banda no estilo de Birdy, compartilha aqui e vamos trocar figurinhas?

{infos}

Official Birdy .:. Instagram .:. Youtube

Ingrid Brandão

Sereia. Cigana. 24, do Ceará, de SP e do mundo. Bagageira de emoções. Um desastre. Amante de musica boa, filme chororô e lugares desconhecidos. Amante do amor. Todo tipo de amor. Vamos nos amar.